EFI : European Forest Institute
Support EFIATLANTIC
Pinède
Le réseau pour la gestion durable des forêts cultivées.

français espagnol portugais english

FORSEE : Indicateur évalué

Indicador 6.10: Acessibilidade ao recreio nas áreas florestais

Custos

Custo Total

0 €

Custo por ha

0 €

Dados gratuitamente fornecidos pela associação florestal Aflopinhal e pelo Gabinete de Turismo da Lousã.

Resultados

Tabela 7 – Intensidade de uso das áreas florestais de recreio

table1

img1

Figura 4 - Locais de recreio em áreas florestais no concelho da Lousã

Notas

As áreas públicas florestais e outras áreas lenhosas de recreio são de livre acesso, não sendo limitado ou condicionado o seu uso. A população local usufrui regularmente dessas áreas, particularmente da Serra da Lousã e dos Casais (totalizam cerca de 1800 ha). Há população dos concelhos limítrofes e de outros pontos do país que se deslocam ao concelho, essencialmente às áreas referidas acima nos locais identificados no mapa. O município da Lousã, com protocolo com algumas associações locais, organiza regularmente visitas e caminhadas por percursos definidos.

Problemas e melhorias

A informação recolhida no INE em 2004, aponta para a existência de 30 lugares como capacidade de alojamento dos estabelecimentos hoteleiros no concelho, porém é sabido que actualmente o alojamento é muito superior (sem que tenha sido contabilizado).

Conclusões

O acesso ao recreio, em áreas florestais e lenhosas, é amplamente efectuado na zona piloto. Há locais com maior frequência de acesso que outras, o que parece derivar do tipo de povoamentos florestais presentes, da qualidade da rede viária e das mais-valias culturais e espirituais existentes (presença de parques, igrejas, miradouros e percursos).

A elevada procura destas áreas para recreio aponta para a importância dos povoamentos florestais (a elas associados) serem sujeitos a uma gestão florestal sustentável, bem como para o efeito contrário (a beneficiação da gestão florestal resultar numa maior procura para recreio).

logo1logo2
Projet cofinancé par l'Union Européenne
Initiative Communaitaire FEDER
INTERREG IIIB Espace Atlantique