Primeiros resultados publicados da rede REINFFORCE! Sobrevivência precoce e plasticidade do crescimento de 33 espécies em toda a área do Atlântico europeu.

  12/10/2018    Hernan Serrano.

Primeiros resultados publicados da rede REINFFORCE! Sobrevivência precoce e plasticidade do crescimento de 33 espécies em toda a área do Atlântico europeu.    

Para antecipar os cenários climáticos europeus para o final do século, exploramos o gradiente climático dentro da rede arboreta REINFFORCE (RÉseau Infraestrutura de Pesquisa para o Desenvolvimento e Adaptação dos Encontros), estabelecida em 38 locais entre as latitudes de 37 ° e 57 °, onde 33 espécies de árvores estão representadas. Nosso objetivo é determinar quais variáveis climáticas melhor explicam sua sobrevivência e crescimento, e identificar as espécies que são mais tolerantes à variação climática e aquelas que o crescimento e a sobrevivência do clima futuro podem restringir. Usamos modelos empíricos para determinar as melhores variáveis preditivas climáticas que explicam a sobrevivência e o crescimento das árvores. A distância de transferência de precipitação foi mais importante para a sobrevivência das espécies de folhas largas, enquanto os dias de maior crescimento explicaram a sobrevivência das árvores coníferas. O crescimento (incremento anual em altura) foi explicado principalmente por um índice anual de seca (ADI) derivado para coníferas e árvores de folhas largas.


488/5000
Espécies que mostraram a maior variação em sobrevivência e crescimento em resposta à variação climática incluíram Betula pendula Roth, Pinus elliottii Engelm., E Thuja plicata Donn ex D.Don, e aqueles que foram menos afetados incluem Quercus shumardii Buckland e Pinus nigra JFArnold. Também demonstramos que as diferenças de procedência foram significativas para Pinus pinea L., Quercus robur L. e Ceratonia siliqua L.

Aqui, demonstramos a utilidade das infraestruturas ao longo de um gradiente climático como o REINFFORCE para determinar as principais tendências das espécies arbóreas que respondem às mudanças climáticas.

Ref : Correia HA et al. 2018. Early survival and growth plasticity of 33 species planted in 38 arboreta across the European Atlantic area.
Forests 2018, 9(10), 630; doi:10.3390/f9100630

Autores: Henrique António Correia; Helena Maria Almeida; Manuela Branco; Margarida Tomé; Rebeca Cordero Montoya; Luisa Di Lucchio; Alejandro Cantero; Julio Casero; Cristina Prieto; Felipe Bravo; Nahia Gartzia; Ander Arias; Richard Jinks; Eric Paillassa; Patrick Pastuszka; María José Rozados Lorenzo; Javier Francisco Silva Pando; María Carmen Traver; Silvia Zabalza; Carina Nóbrega; Miguel Ferreira; Christophe Orazio

  
REDE Infraestrutura de pesquisa para o monitoramento e adaptação de florestas às mudanças climáticas
..
..
..
..
..
..

© Copyright REINFFORCE